Mobile web – interfaces, tarifas e perspectivas….

O blog do GJOL e da Gabriela Zago abordam o excelente artigo do Mark Gleiser, do MediaShift (Your Guide to the Mobile Web). Este artigo considero complementar à última postagem deste blog que aponta o crescimento do uso da web em dispositivos móveis, principalmente no iPhone. O comentário da Gabriela é bem pertinente sobre a ainda necessidade de se adaptar o conteúdo para celulares e smartphones que não possuem a interface moderna e eficiente do aparelho da Apple. Em artigo que escrevi recentemente (ainda não publicado) exploro a questão das interfaces dos dispositivos móveis ainda como um obstáculo para o desenvolvimento do jornalismo móvel. O iPhone ajuda na navegação, mas como nem todos os aparelhos apresentam a mesma funcionalidade o uso de imagem em zoom, por exemplo, é um problema. Outro implicação associada ao uso de imagens e vídeos é a banda estreita que perdura ainda nos celulares digitais de segunda geração, o que deve ser solucionado com a banda larga 3G do celular. Mas como a maioria de celulares e smartphones não são touch screen e nem têm zoom (como no iPhone) há necessidade de se desenvolver formatos de páginas em padrões especificos para mobile web para facilitar a leitura.
Atualmente dos meus acessos diários à rede, aproximadamente 60% são realizados através de mobile web (via smartphone). Os grandes sites jornalísticos como Estadão, O Globo, Folha Online, New York Times estão em formato wap ou mobi. Mas a maioria dos sites da rede permanece com sua versão original para navegação em desktop. Quem não possui planos de dados não compensa navegar pela web através de celulares. E mesmo para os que têm planos ainda enfrentam o alto custo da tarifação das operadoras de telefonia brasileiras. É um absurdo!

Internet móvel vai se consolidando….

Esta semana o Google anunciou que o acesso a web através de dispositivos móveis aumentou de forma acelerada. A Internet móvel está se consolidando e as pessoas começam a navegar pela web com mais frequência. Smartphones e o lançamento do iPhone contribuiram para esta nova curva de crescimento. Reuters (Google sees surge in Web use on mobile phones) e Estadão (Google vê aumento no uso da web em celulares) destacam a notícia do Google.

“O Google viu uma aceleração do uso da internet entre os usuários de celulares nos últimos meses, desde que a empresa lançou serviços móveis mais rápidos para modelos específicos de celulares. Indicações iniciais de acentuada elevação do uso da internet em celulares, e não apenas em computadores, começaram a emergir de serviços que o Google vem oferecendo nos últimos meses aos celulares Blackberry, aparelhos multimídia da Nokia e ao iPhone, da Apple, anunciou a maior empresa de buscas na web.
A crescente disponibilidade de planos a preço fixo de transmissão de dados, de parte das operadoras de telefonia móvel, em lugar das tarifas por minuto que anteriormente desencorajavam o uso da Internet, bem como a melhora dos browsers disponíveis em celulares e a oferta de serviços otimizados por empresas como o Google, vêm estimulando o crescimento, argumentou Waddell.”

Evento discutirá cenário 3G

Nos dias 15 e 16 de abril ocorrerá no Rio de Janeiro o “Rio Wireless International Conference” (Sistemas Móveis para a Terceira Geração). O evento debaterá desde aspectos regulatórios a tv no celular, acesso a internet no celular, novos cenários e novas aplicações sobre a tecnologia de terceira geração (3G). A programação completa está aqui. É importante ressaltar que o leilão, realizado em dezembro, que licitou as frequências e as 11 regiões a serem exploradas pelas operadoras de telefonia devem funcionar para valer a partir deste ano. A Claro já vinha operando desde o ano passado. Mas A Tim e outras operadoras devem começar ainda neste primeiro semestre. A questão da terceira geração e seus desdobramentos (principalmente em relação ao jornalismo) tem sido abordado neste blog desde o ano passado.

P.S.: Em maio estarei na Flórida, Estados Unidos, participando do painel “New Media: Cell phone, YouTube, Bloggers and Internet” e apresentando algumas experiências brasileiras sobre o uso de tecnologias móveis digitais e de celulares de terceira geração (3G) no jornalismo. Mais a frente passarei mais detalhes sobre o evento.