Tecnologia 4G a caminho

Baixar um filme em 5 minutos? Download com velocidade de mais de 20 megas…
A tecnologia de terceira geração – 3G nem se firmou ainda no Brasil e já está em desenvolvimento a tecnologia 4G com capacidades duplicadas, triplicadas, ou seja, bem superior a atual 3G, que já é bem satisfatória em termos de download e upload nos aparelhos de celular podendo chegar teoricamente em algumas operadoras a 7 megas de velocidade.
A notícia, que desde o ano passado circula pelos blogs e seções de tecnologia do mundo todo, aparece agora no Olhar Digital:

  • A taxa de transmissão mínima na nova era será de 100 Megabits por segundo (Mbps), representada pela comunicação de dois celulares em dois pontos diferentes se comunicando, ou por um celular e um servidor em alta velocidade. A tal taxa permite ao usuário baixar um filme longa metragem com resolução de DVD em cerca de cinco minutos. Trata-se da convergência pois a 4G proporciona multi-tarefas e permite ao usuário acompanhar TV digital de alta definição, baixar músicas ou fazer videoconferência, tudo ao mesmo tempo pelo celular.”

Tecnologia 3G em transmissão ao vivo no portal Jornal NH Online

O Jornal NH Online, de Novo Hamburgo -RS, está realizando reportagens ao vivo com o uso de tecnologia de terceira geração (3G). A primeira reportagem do gênero em um portal de notícia na web brasileira ocorreu no dia 30/05 pelo Jornal NH numa reportagem sobre a baixa temperatura na região e durou quatro minutos. Para as transmissões estão sendo utilizados celular Nokia N95 de terceira geração e o software americano Qik. As matérias que forem exibidas em tempo real/streaming ganharão um selo indicando que está sendo gerada com tecnologia 3G. A idéia do portal, vinculado ao Grupo Sinos, é adotar a prática do jornalismo móvel nas reportagens de campo em tempo real para oferecer mais velocidade na transmissão de notícias e entrevistas. O diretor do Grupo Sinos, Fernando Alberto Gusmão, considera que o jornalismo móvel é uma tendência mundial.
As reportagens transmitidas ao vivo são posteriormente disponibilizadas no site com o texto explicativo “como funciona o jornalismo móvel“:Grupo Sinos está inovando ao entrar para o jornalismo móvel, uma tendência mundial que vem crescendo nos últimos meses. Tecnicamente, as reportagens ao vivo são veiculadas em Real-time video Streaming, um tipo de transmissão de dados que permite que o vídeo que está sendo captado na fonte seja disponibilizado pela Internet ao mesmo tempo em que está sendo produzido. O repórter utiliza um aparelho celular com câmera embutida que, através de conexão 3G, envia os dados ao servidor, de onde são colocados diretamente ao alcance dos internautas.”

via Lambida Digital

iPhone 3G e as novas ferramentas para o jornalismo móvel

O iPhone 3G foi anunciado por Steve Jobs. Vamos a algumas observações iniciais. A introdução do 3G e do GPS já eram esperados e não foram novidades. A velocidade do celular da Apple superior em até 36% em relação ao Nokia N95 e Treo750 é positivo e força os outros celulares a buscar a mesma performance. A bateria pode durar até cinco horas de conversção no modo 3G e 10 horas no modo 2G. Um dos pontos fortes de um aparelho 3G é a possibilidade de se fazer ligação com videochamada e o iPhone não traz câmara na parte de frente para o uso deste recurso. Além do mais não veio com câmara para filmar. Estes dois pontos foram falhos na versão 2 do dispositivo.

Duas novas ferramentas chamaram a atenção. O iPhone vem com suporte para blogs (o TyperPad) que permitirá a postagem direto do celular com o anexo da foto. A outra ferramenta (Mobile News Network) foi desenvolvida junto com a agência de notícias Associated Press. O repórter poderá acessar ou enviar reportagens a partir do iPhone. São aplicativos que potencializam o jornalismo móvel. O iPhone se aperfeiçoa rapidamente e, de fato, está se transformando num paradigma em termos de dispositivo. Na versão 3 é possível que a sofisticação do aparelho chegue ao máximo de perfomance.

Palestra sobre jornalismo móvel

Na semana passada estive participando, ao lado dos colegas Julio Valentim e José Carlos, do POLICOM – Congresso de Comunicação Social e Políticas Culturais, na Faculdade 2 de Julho, em Salvador. A mesa redonda discutiu “Comunicação Móvel”. Minha apresentação versou sobre jornalismo móvel. Neste vídeo você pode acompanhar parte da discussão.