Jornalistas sem redação

Depois de um tempo afastado por causa de viagens e muitas atividades acadêmicas, volto ao blog. Teremos muitas novidades por aqui, muita coisa para comentar sobre jornalismo e tecnologia. Gradativamente atualizarei o blog com diversas questões relacionadas à minha pesquisa de doutorado, a artigos publicados em livros e apresentados em eventos como forma de compartilhar com os leitores deste blog.

JORNALISTAS SEM REDAÇÃO
Para começar destaco a interessante matéria publicada esta semana pelo El País denominada “Periodistas sin redacción”. O enfoque é exatamente nos jornalistas que trabalham fora da redação produzindo todo tipo de conteúdo e enviando através de diversas conexões disponíveis e se utilizando para a execucação do trabalho de conexão à internet, computador portátil, câmeras digitais e celulares. Na matéria há depoimentos de pesquisadores como Ramón Salaverría e de profissionais que adotaram esta forma de exercer o jornalismo.

Como background está a questão da mobilidade e o fato de que dispomos hoje de uma infra-estrutura adequada para o desenvolvimento da atividade jornalística no campo, fora das redações, de onde de fato as notícias acontecem e que, de uma certa forma, a Internet paradoxalmente inverteu os processos transformando os profissionais em “jornalistas sentados” que apura tudo de frente ao desktop sem sair da redação. Com as tecnologias móveis e as inúmeras conexões disponíveis como a 3G espera-se que os repórteres voltem à rua para acompanhar de perto e com mais precisão os acontecimentos do dia-a-dia. Este fenômeno “do retorno” já começa a acontece em alguns grupos de comunicação com a adoção do modelo de jornalismo móvel.

Vale a pena ler “Periodistas sin redacción tendo em vista que em breve esta será uma realidade mais presente nos meios de comunicação com práticas mais vinculadas ao espaço urbano, à realidade dos acontecimentos. Tecnologias para o jornalismo em mobilidade já temos.

Comentários iniciais do final da ABCiber

Ontem terminou o Simpósio da ABCiber na PUC de São Paulo. O evento foi muito proveitoso e gerou discussões de alto nível entre pesquisadores de todas as partes do país vinculados à comunicação e à cibercultura. Na programação das plenárias nomes de peso da área como Sérgio Amadeu, André Lemos, Marcos Palacios, Alex Primo, Lucia Santaella, Lúcia Leão, Erick Felinto, Eugênio Trivinho, Fernanda Bruno, Adriana Amaral, Diana Domingues, Francisco Rüdiger, Sueli Fragoso, Sandra Montardo, Marco , Raquel Recuero, dentre tantos outros pesquisadores presentes. Além da transmissão ao vivo via ABCiber, um dos aspectos mais interessantes foi a discussão em pararelo via twitter formando uma “mémoria e espaço das pesquisas” em torno dos debates, como afirmou Adriana Amaral. Veja aí a quantidade de twittes lançados na rede através da tag #abciber

Infelizmente nem tudo é 100% perfeito. A conexão wi-fi da PUC se manteve instável ou ausente e o local não oferecia infra-estrutura de tomadas para manter os notebooks e netbooks ligados. No meu caso em particular a bateria queimou antes mesmo do evento e me impossibilitou de postar de forma mais instantânea, mais frequente e preferi fazer uma cobertura offline (com exceção do twitter.com/fernandofirmino) para não estressar. Mas prometo que disponibilizarei este conteúdo gerado (videos, fotos e impressões) posteriormente. Como sugestão para o próximo ano penso que seria interessante pensar na disponibilização de uma infra-estrutura voltada para as pessoas que estão cobrindo o evento e que geram registros importantes para a memória da própria ABCiber e de quem está acompanhando a distância.
No mais o evento valeu a pena. No próximo ano estaremos reunidos de novo.

Livro: não poderia deixar de lembrar o lançamento do livro “Edição de Imagens em Jornalismo” que ocorreu no primeiro dia do evento. A recepção para a edição foi excelente e recebeu comentários muito positivos. Na próxima semana acontece outro lançamento nacional do livro na ABCiber com a presença dos organizadores Ângela Felippi, Demétrio de Azeredo Soster e Fabiana Piccinin. Contamos com a presença dos colegas de jornalismo.