Notícia excelente: Prêmio Intercom 2008

Hoje recebi uma excelente notícia  (confesso que até inesperada). Fui o vencedor do Prêmio Freitas Nobre/Intercom 2008 na categoria Doutorado com o trabalho “”Jornalismo reconfigurado: tecnologias móveis e conexões sem fio na reportagem de campo”. Este ano foram enviados 1.041 trabalhos científicos para o 31o Congresso Nacional da Intercom e selecionados 59 finalistas para os prêmios nas categorias Iniciação Científica, Especialização, Mestrado e Doutorado de instituições de ensino de várias partes do país. O resultado foi divulgado hoje pela Intercom. Mais um incentivo para minha pesquisa de doutorado sobre jornalismo e mobilidade. 

Estes foram os primeiros colocados em cada categoria e seus respectivos trabalhos premiados:

  • Iniciação Científica (Frederico Jorge Tavares de Oliveira, Rosa Maria Luiza de Melo Rocha, da ESPM-SP, com o trabalho “Comunicação no metrô de SP: as construções narrativas da publi(cidade)”)
  • Especialização (André Farias Zielonka, Mônica Kaseker, da PUC-PR, com o trabalho “A busca de um novo sentido para o ver e o ouvir na construção audiofotográfica”)
  • Mestrado (Alessandra Oliveira Araújo, da UFC, com o trabalho “Rádio-Escola como uma experiência de Comunicação Educativa”)
  • Doutorado (Fernando Firmino da Silva, da UFBA/UEPB, com o trabalho “Jornalismo reconfigurado: tecnologias móveis e conexões sem fio na reportagem de campo”)

MobileCamp

Ontem aconteceu em São Paulo o MobileCamp, um evento que reuniu convidados e palestrantes para discutir mobilidade, tecnologias móveis e tudo relacionado ao mundo mobile. À convite do Juliano Spyer participei como palestrante através dos dois vídeos abaixo [infelizmente não pude ir pessoalmente devido a outros compromissos]. Então seguem os vídeos para quem não esteve presente no evento. Falo um pouco sobre minha pesquisa de doutorado na UFBA e a reconfiguração do jornalismo com a introdução de tecnologias móveis e conexões de rede sem fio.

Pelas atualizações no Twitter com a tag #mobilecamp dá para ter idéia da repercussão do evento.

A Tarde implanta tecnologia QR Code no jornal impresso para acesso móvel

O Grupo A Tarde, da Bahia, lançou hoje um projeto de integração de mídia através da implantação do QR Code no jornal impresso. Algumas matérias vão vim acompanhadas do código QR que pode levar o leitor, munido de um celular com um aplicativo que possa lê o código, a ter acesso a informações complementares na tela do dispositivo móvel como vídeos, fotos, áudios ou outros textos extras. É a primeira iniciativa no Brasil de uma empresa de comunicação e demonstra claramente a integração entre os suportes – jornal impresso, internet e celular. Bastante popular no Japão, Estados Unidos e Europa o QR Code é uma espécie de substituto dos códigos de barra das embalagens. A vantagem é que vai além e visualiza outros formatos. Um exemplo: numa estação de metrô que disponibilize o código nos murais é possível visualizar o mapa do percurso no próprio celular com o aplicativo leitor embutido. Em relação ao jornal vai funcionar da mesma forma. No carnaval 2009 é possível levar o leitor do jornal impresso a fotos complementares da passagem dos trios no circuito Barra-Ondina.

Para o jornalismo é mais uma tentativa de ampliar as possibilidades de integração de mídias num ambiente de pura convergência e de emergência da comunicação móvel a partir da expansão das tecnologias móveis digitais e de conexões como 3G. Veja video do projeto de A Tarde e video complementar do Jornal da Globo explicando como funciona o QR Code no Japão.

Notícia multimídia em plataformas móveis

Recupero agora a informação de que a agência de notícias France Press (AFP) criou um portal móvel para distribuição de conteúdo (áudio, video, foto, notícias) para dispositivos móveis. O AFP Mobile é um canal específico de comunicação móvel. O portal está disponível em vários idiomas (inglês, francês e espanhol). Acessei no iPhone e funcionou legal. Vou continuar testando. Estou preparando um paper sobre os sites móveis para publicação no próximo ano em que abordarei esta rápida migração dos desktops para as plataformas móveis.

No Brasil já temos diversos portais dedicados a disponibilização de conteúdos multimídias especificamente para celulares, smartphones e similares como JC Mobile, Veja, Terra e principalmente Globo.com, que melhor integra notícias do G1, de esportes, entretenimento e, principalmente, videos que rodam facilmente no iPhone com uma descarga muito rápida a partir do plug-ing do aparelho. Pelo que se percebe, pelo crescente volume de projetos dos grupos de comunicação, a adoção de plataformas móveis com formatos específicos é uma tendência irreversível. A comunicação móvel é um fenômeno que carece de estudos mais profundos ainda para análise destas práticas em expansão.