SBPJor e lançamento de livro


No último final de semana estive em São Paulo participando da SBPJor na ECA-USP. Os relatos do que aconteceu por lá estão disseminados pelo twitter (#sbpjor) e pelos blogs de colegas que estiveram lá, além do blog oficial do evento. O tempo corrido também não me permitirá um relato minucioso das discussões que acompanhei por lá e de alguns projetos que vão emergir a partir da interface jornalismo-tecnologia-redes sociais e etc.

Portanto, limitarei-me apenas a informar sobre o lançamento do livro “Metamorfoses Jornalísticas 2: a reconfiguração da forma”. Semelhante ao que ocorreu na Feira do Livro de Porto Alegre, o livro foi bem recebido pelos colegas pesquisadores, professores e alunos e esgotou horas antes da sessão de lançamento. Um bom sinal. Dessa vez pude participar junto com Demétrio de Azeredo Soster, que organizou a obra junto comigo.

O livro já está disponível para venda online no site da Editora Edunisc. A obra contempla temáticas que são foco de discussões na atualidade na relação com as mudanças impulsionadas pelas tecnologias digitais como infografia, midiatização, jornalismo móvel, blogs, microblogs, wikipedia, generos digitais, telejornalismo, radiojornalismo, redes sociais entre outros perspectivas.

LocastPOA: projeto de jornalismo geolocalizado da PUCRS, MIT e Grupo RBS


Jornalismo móvel, jornalismo locativo, jornalismo hiperlocal. As tecnologias móveis com conexões sem fio e aplicações GPS em mapas ocupam cada vez mais espaço nas experiências que circulam na web. Com a apropriação destas características foi lançado na última segunda-feira no Brasil o projeto LocastPOA. A iniciativa, com propósito de produção de conteúdo jornalístico com características de ultra-localismo com uso de celulares com GPS, é uma parceria entre o curso de Comunicação Social (Famecos) da PUC-RS, Massachusetts Institute of Technology (MIT) e jornalistas do Grupo RBS. As notícias, produzidas em vídeo, vêm vinculadas a um mapa através de GPS, com a demarcação da localização de onde o fato acontece. Para isto os jornalistas utilizam celulares e fazem a edição diretamente no aparelho e na hora. A primeira etapa do projeto, de produção de conteúdo jornalístico, vai até o dia 23 de novembro. Acompanhe o projeto por aqui ou através do blog Ubimidia, do coordenador do projeto, Eduardo Pellanda.

P.S: Para quem quiser saber mais sobre projetos relacionadas a mídia locativas, geolocalização, mobilidade vale a pena ver o projeto dos alunos de graduação do professor André Lemos na UFBA denominado Vila Brandão Existe com uso de QR Codes. Ou acessar a edição especial da sobre comunicação móvel no Brasil na Wi-Journal.

Reportagem multimídia do JC Online sobre bicicletas


Os grupos de comunicação ainda investem muito pouco na produção de matérias convergentes ou reportagens multimídia. O jornalismo digital – com os recursos do ciberespaço, da web 2.0, das narrativas transmidiáticas – têm à disposição um arsenal para a experimentação ou o desenvolvimento de formatos mais inovadores. É claro que as redações online ainda são enxutas demais para liberar uma equipe para o lado mais criativo e aprofundado da produção em linguagem multimídia. Mas aí está um exemplo: é o caso das reportagens especiais multimídias, do portal JC Online (Recife), que conheci há pouco e in loco durante temporada de pesquisa de campo do doutorado. A equipe já ganhou vários prêmios nacionais e internacionais. A mais recente produção foi a reportagem multimídia A revolução das bicicletas – uma história em quadrinhos sobre os desafios do trânsito da vida real. Quadrinhos, vídeos, fotos, storyboard, making off, interatividade fazem parte desse especial capitaneado pela jornalista Julliana de Melo e design de Sidclei Sobral.
Sempre fui fascinado por bicicletas. É a mobilidade em duas rodas. Boas lembranças….