Arquivo da categoria: jornalista móvel

Livro Jornalismo Móvel é lançado pela Editora da UFBA

Captura de tela 2015-07-31 15.16.43

[LIVRO] Acaba de ser lançado o livro “Jornalismo móvel” do professor doutor e pesquisador Fernando Firmino da Silva (UEPB) pela Coleção Cibercultura, através do Lab404 – Laboratório de Pesquisa em Mídia Digital, Redes e Espaço do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da UFBA e a editora EDUFBA. A publicação é resultado da tese de Doutorado (2013) do autor, que durante o desenvolvimento foi vencedor do Prêmio Freitas Nobre categoria doutorado do Intercom Nacional e, em 2014,  selecionada como a Melhor Tese de Doutorado de 2013 do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia – UFBA. 

A “Coleção Cibercultura/Lab404” é coordenada pelo professor André Lemos. Veja mais sobre o livro e a coleção e faça o download gratuito em formato PDF e EPUB. Em breve estará disponível também para Kindle, formato MOBI.

“O objetivo é produzir dois e-books por ano a fim de oferecer obras de referências sobre temas da atualidade da cultura digital, em linguagem direta, objetiva e clara, com o suporte de imagens e infográficos. Busca-se suprir uma lacuna na produção de textos acadêmicos eletrônicos didáticos para estudantes de graduação, pós-graduação e o público em geral.

Os próximos livros já estão no prelo e devem sair nos próximos meses (Jogos Locativos e Internet e Política). Aceitamos originais em fluxo contínuo.”

O livro está livre para download em formatos PDF e EPUB (o formato MOBI sairá em breve) no Repositório Institucional da UFBA 

Sobre o autor:
Fernando Firmino da Silva é  doutor em comunicação e cultura contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia. Professor do Departamento de Comunicação Social – Jornalismo, da Universidade Estadual da Paraíba e professor do Programa de Pós-Graduação em jornalismo, da Universidade Federal da Paraíba. Coordenador do Grupo de Pesquisa em Jornalismo e Mobilidade (MobJor). Colaborador do Grupo de Pesquisa Lab404 – Laboratório de Pesquisa em Mídia Digital, Redes e Espaço e do Grupo de Pesquisa em Jornalismo On-line (GJOL). Pesquisador membro do Projeto Laboratório de Jornalismo Convergente da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia. E-mail: fernando.milanni@globo.com

Novo lugar…

O blog http://jornalismomovel.blogspot.com (redirecionado para cá) foi o primeiro ou um dos primeiros do país a discutir a questão do jornalismo móvel no longíquo 2007, que para efeito de dinâmica de mudanças tecnológicas é um tempo significativo. O espaço surgiu como diário de bordo de pesquisa de doutorado e ampliou suas finalidades e público: do acadêmico para um público geral que começava a despertar para o “mundo móvel”, para a “cultura da mobilidade”.

Entretanto, estudantes de jornalismo, professores de jornalismo  e jornalistas de empresas de comunicação (compreendido em uma dimensão multiplataforma) são, sem dúvida, os principais visitantes do espaço. Todavia, devido a nova lógica de abrangência que as tecnologias móveis digitais desencadeiam e impactam na vida econômica, cultural, nos novos hábitos de consumo, educação e etc. nas práticas sociais mediadas por dispositivos móveis, a discussão vai muito além da cultura jornalística e suas práticas permitindo que os assuntos aqui discutidos interessem a um número maior de pessoas pelas finalidades às mais diversas.

O blog esteve parado. Os motivos do abandono do espaço por um longo período se deve, sobremaneira, por questões pessoais relacionadas a problemas de saúde na coluna, que me perseguem desde 2006 e que, em alguns períodos, como os mais recentes, impõem uma reordenação das atividades com o afastamento obrigatório ou voluntário (alguns momentos)  do uso de computadores.

Novas motivações (e condições físicas e mentais) me trazem de volta ao prazer de blogar, de compartilhar, de interagir e de refletir sobre esse “mundo móvel”, que está cada vez mais presente e em movimento. Não pretendo estabelecer um compromisso de postagens diárias, mas sempre que algo me motivar à reflexão estarei aqui para postar meus pensamentos e discutir com os interessados e, à medida do possível, trazer posts mais densos que possam aprofundar questões fundamentais para pensar a mobilidade e o jornalismo.

Neste sentido, resolvemos retomar o blog em um novo domínio (www.jornalismomovel.com.br) para que possamos explorar outras condições técnicas e de expansão da visibilidade do mesmo. Espero que este novo momento seja tão estimulante quanto foi no início da criação do blog. Novos projetos atrelados emergirão ao longo de 2013 para expandir o trabalho. Aguardem!

Agradeço aos que, mesmo sem atualizações, se mantiveram fiéis ao antigo blog (conforme o Analytics revela). Sugiro que curta nossa fan page na rede social facebook, adicione nosso blog no seu agregador de RSS ou acompanhe as postagens por email. Enfim, sejam bem-vindos!

Redação Móvel

O jornal americano The Star, da cidade de Cleveland, no estado de Ohio nos Estados Unidos, montou uma redação interativa móvel a partir de um veículo estruturado com dispositivos móveis digitais e conexões sem fio (obrigado Grace). Os repórteres, dirigindo esse veículo equipado, vão diretamente aos locais dos eventos e relatam ao vivo e online os fatos observados. Um hotspot (ponto de acesso à internet) foi instalado para cobrir toda a cidade com rede sem fio para permitir que o repórter esteja sempre online de qualquer parte de Cleveland a partir de um roteador instalado no veículo.

Essa redação móvel é composta de um notebook Dell Latitude D820, com processador duo core, que funciona como uma central para editar fotos, áudios e vídeos e realizar o upload; Uma filmadora Sony HDR-SR1 que grava em alta resolução; câmera Nikon Coolpix com 7,2 megapixels com transferência para o computador via wireless; câmera Linksys WVC200 colocada em frente do veículo para transmissão para o público de vídeos da produção dos repórteres; gravador digital M-Audio Micro Track para captura e edição de áudio nos formatos WAV e MP3; roteador Kyocera KR1 com acesso permanente à internet para uso simultâneos em diversos computadores e dispositivos móveis; e um servidor EmergeCore IT-100 emails, serviços VPN e gerenciamento remoto.
Verifica-se uma ampliação das experiências de jornalismo móvel pelo mundo. Em outubro a agência de notícias Reuters lançou, em parceria com a Nokia, um projeto de cobertura móvel a partir de um kit de ferramentas móveis para os repórteres espalhados pelo mundo: Jornalismo móvel na Reuters e Jornalismo móvel na Reuters – Parte II.

fernando f. silva

Digital Pen – uma ferramenta para o repórter móvel anotar e transferir suas informações

Na mesma proporção em que se expande o jornalismo móvel também se expandem as ferramentas portáteis para o desenvolvimento de atividades jornalísticas em condições de mobilidade. A Digital Pen é uma dessas eficientes ferramentas que facilita o trabalho do repórter. Trata-se de uma caneta digital (que também é uma USB flash drive) que pode ser utilizada para escrever livremente num papel, armazenar páginas de informação (em tempo real) e depois transferir as anotações e rascunhos para o computador através da entrada USB e ser enviado diretamente para um email. Depois de transferido pode-se transformar as anotações em imagens ou em textos (essa é a parte boa). Além do mais a caneta digital é uma memória flash para armazenar diversos outros arquivos como música, vídeo, textos. Entrevistas, reportagens ou a apuração de uma notícia são situações em que o repórter pode utilizar essa caneta, escrevendo as informações num papel que serão transferidas para a conversão em formato de texto. Essa ferramenta agiliza imensamente o trabalho do repórter. Veja um vídeo demonstrando como a Digital Pen funciona ou veja uma infografia com um demo mostrando também as funcionalidades desse aparelho. A Digital Pen custa em média U$ 80 e pesa 16 gramas.
fernando f. silva

Ferramentas para um jornalista móvel

Quando se fala de um jornalista móvel sempre há uma analogia com o jornalista multimídia. Na verdade é quase a mesma coisa, mas a diferença básica de um jornalista móvel é que ele é multimídia, mas trabalha essencialmente em condições de mobilidade no espaço urbano produzindo suas matérias e potencializa essa condição. Ele envia sua notícia do próprio local onde foi produzido para um site ou para uma estação de trabalho e ele estará sempre equipado com tecnologias móveis digitais como notebook, computadores de mão, GPS (Sistema de Posicionamento Global), câmeras e gravadores digitais e com acesso a conexão sem fio. Com acesso à internet o jornalista posta diretamente para um site jornalístico tanto textos quanto fotos, vídeos e áudio. Tudo isso é possível fazer diretamente de notebooks ou smartphones, mas alguns softwares específicos para a produção jornalística em mobilidade já estão disponíveis e são estruturados para esse tipo de atividade, que deve crescer com a expansão das tecnologias móveis. Nesse vídeo acima você pode assistir a apresentação de um destes softwares, o Farcast Reporter, que utiliza GPS e uma plataforma própria para o envio de notícias multimídia para postagem diretamente no site.